sábado, 21 de julho de 2018

Pré-Venda de Orlando e Participação na Casa Fantástica da FLIP

Pessoas Queridas,

Este post se destina a dar duas notícias de suma importância. Em primeiro lugar...

YESSSS! Orlando e o Escudo da Coragem será lançado na Bienal e está em pré-venda! É o meu décimo livro solo e, tal como Anna e a Trilha Secreta, seu público-alvo são crianças a partir dos 10 ou 11 anos. Mas, assim como da Anna, pessoas de todas as idades podem gostar.



Sinopse e demais informações estão no site da Editora Draco, e aqui no blog tem algumas postagem sobre o personagem e o processo de escrita. Basta clicar no marcador O Escudo da Coragem, aí ao lado, para acessá-las.

A outra notícia é sobre minha participação na Casa Fantástica da FLIP, que será no dia 26 de julho, às 16 h. Partilho mesa com Diego Guerra e Marcelo Paschoalin e vamos falar de sagas e trilogias na Literatura Fantástica nacional.


A programação completa desse evento, que reunirá mais de 40 autores de Literatura Fantástica, pode ser acessada aqui

Estou superfeliz pelas duas coisas (e bem ansiosa, como devem imaginar). Espero encontrar alguns de vocês na FLIP, bem como receber algum feedback sobre a leitura de Orlando. Mas só estar compartilhando essas notícias com vocês, depois de tantas batalhas, já é uma alegria enorme.

Até breve!

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Mais uma vez na Feira Medieval!


Pessoas Queridas,

Mais uma vez estarei na Feira Medieval na Quinta da Boa Vista (a quinta edição da Feira!). Será no domingo, dia 8 de julho, das 10 às 18 h. Levarei os livros de Athelgard e as coletâneas "Magos", "Medieval" e "Excalibur", e vou autografar a coletânea "Histórias Fantásticas do Guardião", de que participei a convite dos editores. Também está prevista uma minipalestra sobre as raízes medievais da Literatura Fantástica e o sorteio de um exemplar de "Medieval".

Apareçam, vai ser mágico!

domingo, 1 de julho de 2018

Grimmagauhr e os Dragões de Athelgard


A existência de dragões é um capítulo à parte em Athelgard.

Nos tempos em que decorrem O Castelo das Águias e suas sequências, os habitantes da Ilha Exterior não têm nenhuma dúvida de que eles existiram. Isso é comprovado não apenas por antigos relatos, desenhos e esculturas, mas pela presença de ossadas, geralmente em lugares de difícil acesso, como cavernas situadas em montanhas e pequenas ilhas (entre as quais a famosa Ilha dos Ossos). A maioria das pessoas, porém, acredita que os dragões desapareceram há centenas de anos – e por isso o ovo meio petrificado encontrado pelos navegantes de O Tesouro dos Mares Gelados é motivo de assombro, tal como o é o pequeno dragão avistado por Anna e Kieran, anos depois, durante uma tempestade.

Aliás... Seria o mesmo dragão?

A resposta a essa questão parece ficar evidente quando, pela primeira vez, os visitantes desse universo são convidados a conhecer a Ilha Interior. Lá, eles descobrirão que os dragões pertenciam a três estirpes distintas – a branca, a rubra e a negra, cada qual com suas particularidades, que iam além da cor – e que, assim como boa parte dos descendentes dos elfos egressos de Alfheim, deixaram essa localidade protegida para viver na Ilha Exterior, onde foram exterminados pelos homens ou pelos próprios elfos na luta pela posse do território. Um, porém, foi deixado para trás: o orgulhoso e mal-humorado Grimmagauhr, descendente da estirpe rubra, capz de assumir a forma de um homem ruivo e desajeitado.

A jornada de Grimmagauhr e o que ele descobriu pode ser acompanhada no conto O Último Dragão de Athelgard, que está disponível em e-book solo e na versão digital da coletânea Dragões, da Editora Draco.

Grim, em sua forma humana, e o seu “ego” draconiano foram retratados pela talentosa Evelyn Postali especialmente para o blog do Castelo.

O autor Cristiano Konno também trouxe dragões a Athelgard no conto O Elfo das Terras Além, que se passa nesse universo.